Natal ganha museu para descobrir a memória afetiva da cidade

Natal ganha museu para descobrir a memória afetiva da cidade

Compartilhe esse conteúdo

Natal ganha este mês um museu diferente de todos os outros que a cidade já possui. E que funcionará 24 horas, todos os dias, inclusive aos domingos; com a possibilidade de ser visitado de qualquer lugar no mundo. Tudo gratuito.

O Museu da Memória Afetiva da Cidade do Natal (Mmac) abre suas portas na internet para receber – e incorporar ao seu acervo – todas as lembranças que qualquer pessoa possa ter sobre a capital do Rio Grande do Norte e que deseje compartilhar, eternizando-a.

Não poderia haver ação melhor no mês internacional dos museus e que também celebra a Semana Nacional de Museus, cujo tema este ano é “Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”.

O processo para fazer parte do Mmac será bastante simples: basta acessar www.mmacnatal.com e clicar no botão em destaque. A partir daí tudo é bastante intuitivo: o site vai “perguntando” sobre sua memória, identificando se será um texto, uma foto, um vídeo ou tudo isso junto; onde e quando ocorreu a lembrança. Será possível inclusive dar um nome à memória postada.
Após essa etapa, sua memória afetiva da cidade do Natal estará disponível e poderá ser vista, lida, ouvida e descoberta por qualquer pessoa do planeta.

A ideia é que o conjunto desses depoimentos, compostos de múltiplos formatos, componham uma memória afetiva coletiva da cidade; e que as lembranças, situadas todas no mesmo site, estimulem mais e mais pessoas a entrar para o museu e ajudar a construí-lo como algo único no mundo.

“Por meio de atividades e processos criativos será gerado um acervo que estará disponível à população numa plataforma digital, onde os visitantes poderão tanto conhecer como postar memórias e criações”, é dito na apresentação do projeto.

O Mmac Natal é uma iniciativa dos profissionais do Instituto Casadágua (antropologia visual), MAGA (arquitetura e urbanismo) e Espaço Duas (fotografia). O Museu é um desdobramento de um dos eixos do projeto “De Fora Adentro: Cartografia dos Sentidos” criado pelo Instituto Casadágua em 2010, iniciativa do antropólogo e artista visual Maurício Panella.
O Museu é um projeto aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Djalma Maranhão) e conta com o patrocínio da Potiguar Turismo e da Arena das Dunas. E apoio do Sebrae/RN e do Hotel Safari.

Palestras

O lançamento oficial do Museu da Memória Afetiva de Natal (Mmac) será feito por meio do I Seminário Museu, Cidade e Memória Afetiva, que ocorrerá dias 22 e 23 de maio, na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, na Cidade Alta. 

Para o primeiro dia, pela manhã, o seminário contará com palestras do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), Marcelo Mattos Araújo e de Maria Inez Montovani, da Expomus, empresa brasileira especialista na área de museus.

Também estarão presentes José Bueno e Luiz de Campos Júnior, criadores do Rios e Ruas, projeto baseado em São Paulo que existe desde 2010 e cujo objetivo é “redescobrir as principais bacias hidrográficas da cidade para disseminar a conscientização sobre a importância de preservá-las e até recuperá-las”. Uma das metodologias usadas para isso é a memória das pessoas, suas recordações, mesma matéria-prima que move o Mmac.

Ainda no mesmo dia, pela parte da tarde haverá palestras com a participação de Maísa Pinheiro, do Sebrae, falando sobre “Destinos Turísticos Inteligentes”; e Elisangela Neves, sobre as “Caminhadas Históricas do Senac/RN”.

Após isso, o Seminário terá a participação de Henrique Fontes, da Casa da Ribeira; Felipe Campos, do Som Sem Plugs; Thiago Medeiros, do projeto “Memórias do Alecrim”; e Miguel Carcará, do “Novos Valores”.

Fechando o ciclo de palestras, Maurício Panella, do Instituto Casadágua, falará sobre o projeto “De fora adentro”. Também haverá falas de Cláudia Gazolla e Silvana Mameri, do escritório Maga Arquitetura; e de Elisa Elsie e Mariana do Vale, do Duas Estúdio.

Oficinas e percursos 

No dia 23, pela manhã haverá bate-papo com Ruth Athaide, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFRN; J.Clewton e Eunádia Cavalcante, do projeto Ribeira Desenhada, que também integram o Departamento de Arquitetura da UFRN; e André Alves, do Urban Sketchers Natal.

Ainda pela parte da manhã serão promovidas atividades práticas. Os participantes poderão participar das oficinas “Imagem e Cidade”; e “Fotografia/Memória/Arte”, às 10h.
Pela parte da tarde haverá dois percursos: o primeiro será “Rios e Ruas em Natal”; o segundo uma junção da “Ribeira Desenhada” e do “Urban Sketches Natal”.

Natal gigante

Também fazem parte da programação do Museu uma intervenção que ocorrerá dia 9 de junho (sábado), na praça Henrique Carloni (conhecida como “Praça do Disco Voador”). Nesse dia, os participantes poderão caminhar sobre um mapa gigante de Natal e desfrutar da experiência de caminhar sobre a cidade, visualizando seus locais de afeto.

Já dia 25 de agosto, no Espaço Duas, haverá a mostra final do Museu da Memória Afetiva da Cidade do Natal, a partir das 17h. Nessa ocasião algumas memórias inseridas no Mmac serão expostas em diferentes suportes (quadros, projeções, telas). A seleção dessas lembranças será feita por meio de curadoria a cargo da equipe do Mmac em parceria com a artista Sânzia Pinheiro. Independente do calendário de atividades, o Mmac seguirá aberto na internet recebendo e revelando memórias.

O lançamento oficial do Museu da Memória Afetiva da Cidade do Natal (Mmac) acontecerá nos dias 22 e 23 de maio, a partir das 9h, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. A entrada é gratuita.

Para mais informações basta acessar o site www.mmacnatal.com