Saiba como declarar moedas virtuais no Imposto de Renda

Saiba como declarar moedas virtuais no Imposto de Renda

Compartilhe esse conteúdo

Antes utilizada apenas por visionários tecnológicos, nos últimos anos, as criptomoedas ganharam lugar de destaque no mercado virtual e cada vez mais adeptos. Essa notável valorização atraiu investidores comuns que passaram a utilizar as moedas virtuais para compra de uma infinidade de produtos e serviços. Mas como toda novidade gera dúvidas, surgem muitos questionamentos sobre a forma de incluir as criptomoedas no Imposto de Renda. Você sabia que não fazer isso corretamente pode te levar à malha fina? Entenda o porquê.

Mesmo não sendo regulamentadas por nenhuma autoridade financeira, o registro das moedas virtuais é exigido pela Receita Federal nas declarações de bens e um dos motivos é a geração de renda em cima das criptomoedas. Por exemplo, se o ganho financeiro com as moedas virtuais for superior a R$ 35 mil, o imposto pago pela pessoa física deverá ser de 15%. Entretanto, se o montante for inferior ao exemplo citado, as moedas virtuais podem ser declaradas como “outros bens e direitos”. Como não há uma cotação padrão para esse tipo de moeda, os valores declarados podem ser os pagos no momento da aquisição.

Mas antes de incluir essas informações na declaração, é preciso comprovar as operações com as devidas documentações, por isso é importante guardar os extratos de todas as transações digitais, alerta o contador Daniel Carvalho, diretor da Rui Cadete Consultores e Auditores Associados. “Você pode se perguntar sobre a necessidade de toda essa exposição, mas é fácil entender: se você movimentar esse dinheiro virtual em bens reais, será preciso justificar a fonte do investimento. Esse é considerado um dos maiores riscos para o contribuinte”, explica.

Embora pareçam simples, as regras que incluem o cálculo sobre o ganho de capital alcançado ou dos rendimentos tributáveis com as criptomoedas são bastante genéricas e, por isso, podem dificultar a declaração de imposto de renda. Por isso, para quem tem ou praticou transações com moedas virtuais, é aconselhável buscar auxílio especializado.