#VamosfalardeHIV : AIDS e HIV não são a mesma coisa, veja a diferença

#VamosfalardeHIV : AIDS e HIV não são a mesma coisa, veja a diferença

Compartilhe esse conteúdo

Volta e meia  nos deparamos com pessoas na ânsia de entender sobre tudo sem entender nada e difundindo informações erradas.  Já falei outras vezes aqui sobre HIV e AIDS, e vou falar quantas vezes for necessário. Vendo que apesar de tantas formas de buscar informação disponíveis, muita gente ainda cria um bicho de mil cabeças quando o assunto é esse, por este motivo decidi usar este canal como forma de tirar do armnário estes debates. Semanalmente vou expor aqui algo relacionado, e conto com o apoio de vocês para dar visibilidade a este assunto usando a hastag #VamosfalardeHIV. Os primeiros textos foram sobre "a importância de se testar a sorologia" e "as 8 coisas gostosinhas para  gozar gostoso sem ter medo do HIV (referente a sorodiscordância)",  hoje vamos esclarecer a diferença entre HIV e AIDS.
 
 
Segundo o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais: a sigla HIV refere-se ao Vírus da Imunodeficiência Adquirida que pode desenvolver-se para AIDS. O vírus penetra nas células do sistema imunológico, atingindo principalmente os linfócitos CD4+, que lideram o combate aos agentes como vírus e bactérias. Depois disso o HIV se espalha pela corrente sanguínea, atacando outras células. Com essa deficiência na proteção do corpo, os soropositivos ficam suscetíveis à proliferação de doenças oportunistas. A pessoa infectada pode passar anos até o aparecimento de sintomas, somente quando defesa e número copias virais fica em níveis alarmantes, comprometendo a integridade física  da pessoa, pode se indicar que o vírus evoluiu para AIDS. 
 
AIDS significa Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Pode-se dizer que a doença é derivada do HIV, como o vírus tem um longo período de incubação, uma pessoa pode ser portadora dele sem necessariamente estar com AIDS. Atualmente, ela é considerada uma doença de perfil crônico. Ainda não há cura, mas sim  tratamento, o que possibilita o indivíduo viver com o vírus HIV por um longo período, de forma assintomática. Quanto mais cedo a presença do vírus for detectada, mais eficiente poderá ser o tratamento e afastar as chances de manifestar AIDS.
 
Ou seja:
O HIV é o vírus que invade as células do sistema imunológico. Já a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – “SIDA”) é a manifestação de enfermidades ocasionadas pela  morte das células de defesa em decorrência da infecção pelo vírus. De forma prática: alguém diagnósticado com AIDS tem HIV, mas nem todos que tem HIV tem AIDS.  
 
 

 

Fica a dica:

Nunca, em hipótese alguma, use o termo "Aidético" para pessoas que tem sorologia positiva para HIV.
 
Jamais incentive ou faça substituição do tratamento convencional por terapias alternativas sem comprovação científica ou sem orientação médica.
 
Mantenha seu acompanhamento com o infectologista em dia, afinal é preciso verificar sempre a situação do cd4 e carga viral.
 
Ao sentir sintomas anormais que indiquem infecção oportunista, procure um médico. Caso o profissional não seja o  habitual, é bom informar sua sorologia para melhor avaliação. Lembre-se que todo trabalhador da saúde é orientado a guardar seu diagnóstico em sigilo.
 
Seja rigoroso com seu tratamento, seus remédios são seus melhores amigos quando se é soropositivo.
 
Atividades físicas, boa alimentação e  cuidados com o emocional aumentam suas defesas e lhe ajudam a manter o vírus sob controle.
 
Não brinque com sua saúde, use camisinha, pois além de proteger seu parceiro você se protege de outras doenças que podem se aproveitar da sua condição sorológica.