Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

 Foto: Reprodução / Foto: Reprodução

Câmara Criminal: Relatório aponta 3.300 processos julgados em 2018

Os desembargadores integrados na Câmara Criminal do TJRN divulgaram, na última sessão, o relatório das atividades que foram desenvolvidas pelo órgão julgador.

Ao considerar o período que iniciou em 7 de janeiro deste ano em relação aos processos julgados, ao todo, foram decididos quase 3.300 processos, sendo 2.385 recursos ainda físicos e 855 em formato digital, cuja coleta de dados foi realizada diretamente no Sistema de Acompanhamento Judicial (SAJ) e no banco do Processo Judicial Eletrônico (PJe), reunidos com o auxílio dos colaboradores que integram o órgão.

Ao todo, de acordo com o relatório, foram realizadas 47 sessões com processos físicos e 46 com processos eletrônicos, já que, na primeira sessão do ano, apenas os recursos físicos foram julgados pelos desembargadores que formam a Câmara Criminal, Glauber Rêgo (presidente), Gilson Barbosa e Saraiva Sobrinho. O mês com o maior número de sessões foi o de julho, com cinco realizadas.

Ainda de acordo com os dados coletados, o terceiro trimestre do ano é que teve o maior número de processos julgados, com o total de 972 decisões proferidas, seguidas pelo segundo trimestre, com 906 julgamentos; o quarto trimestre com 840 e o primeiro, que teve 522 acórdãos do colegiado criminal do TJRN.

Não sendo coletados, em tempo, os dados relativos a processos que tramitam em segredo de justiça e que se somam ao total apreciado no ano.

O relatório ainda apresenta o quantitativo de advogados que fizeram uso da Tribuna no órgão julgador, o que amplia a preservação do direito ao contraditório e a ampla defesa, garantido constitucionalmente e facilitado pela ordem regimental da Câmara. Ao todo, 123 advogados das partes, bem como representantes do Ministério Público, realizaram sustentações orais no órgão julgador.

*Com informações do TJRN.